domingo, 22 de fevereiro de 2009

Dedicado a Camila Bill.

Três Séculos Depois...
Se em vida me roubava os dias
Agora me desfaz os séculos
As horas são incansáveis e vazias
Desde que me fui descansar
Infeliz dia em que fui dormir
Gane meu desespero ao despertar
Nem ao menos pude vê-lo partir
E a vida que, comigo,Jamais pôde compartilhar
Descanse em paz, meu amigoSeu sono, aqui, hei de velar
Por mais que veja as flores se acabar
Meu pensamento sempre estará contigo
Cada minuto me tem sido o castigo
As estrelas me ouvem desabafar
Agora que o ciclo é concluído,
Por que não paro de chorar?
A última lágrima de sangue secou
Feito a última vez que suspirou
Meu corpo agora goza da serenidade
Um corpo sem alma perdido na eternidade
Por mais que eu o quisesse ao meu lado
Inútil é lutar contra o destino selado
Sabia que estava condenada a carregar
A triste sina que me tem sido te amar
E ter, agora, que tentar respirar
Parar de sufocar e te deixar descansar
Não posso impedir que se vá
Por mais que o ame,
Com você, meu destino não está
Acordei em um tempo que desconheço
Meu olhar ingerindo o que não compreendo
Poderia eu recordar, mas a que preço?
Os dias perdidos que não mais entendo
Saída de uma caixa de pedra,
Minha alma dá um longo suspiro
Vejo uma forma sair do nada
E perguntar-me o que miro
Sem nada falar,Meu olhar da caixa desviei
Antes que viesse, novamente, perguntar
Que ano e dia eram, questionei
A fala do coveiroSoou-me feito trovão
O tempo não foi tão traiçoeiro
Com quem passou três séculos em um caixão
Nada restou, nada ficou, nada durou
A não ser as cicatrizes da saudade
E uma pergunta que me perturbou:
Que diabo faço eu com a eternidade?

†Asas da Imaginação†
Na beira de um penhasco, de braços abertos
Pensando em me descontrolar e apenas pular
Se cair estou morto, disso estou certo
A menos que algo me faça voar
Voar pra outro mundo, outro lugar
Quero ir para onde eu puder te encontrar
Mesmo que seja em meu sonho, imaginação
Já que aqui reina em mim a solidãoSolidão não fui eu que escolhi
O que eu queria mesmo era estar junto de ti
Pena que isso não pude escolher
Tenho que solitário viver
Até um dia quem sabe encontrar
Outro alguém a quem eu possa amar.

2 comentários:

Ana disse...

Eu nem deveria ler estes textos...hoje choro por qq coisa...mas é muito bom saber q tem gente bom saber que, como dizia o poeta, "...tem gente boa espalhada por esse Brasil, que vai fazer desse lugar um bom país..."
Tem gente pensando...aprendendo a pensar...ensinando a pensar...
Parabéns pelo blog.
Beijinhos
Ana Miclas

Camila Bill disse...

O Blog está lindo, mas estou aqui para agradecer a parte que me interessa DEDICADA A MIm, (aquela bem metida neh), amo poesias góticas, pois elas me passam a amplitude de sentimentos, dos meus sentimentos, elas me mostram que na vida nem tudo são flores e é por isso que as admiro. Não sou uma pessoa ruim ou depressiva por isso, apenas é meu gosto como prefiro dramas a romances, gosto do goticismo é uma arte que me interesso muito e da qual as pessoas ainda são muito leigas e tem ideias distorcidas sobre a mesma.
Enfim Edson adorei as duas poesias postadas.
beijão moço saudades.
by Camila Bill